sábado, 19 de setembro de 2009

Problemas com a caixa de areia?

Conheça os motivos mais comuns:
.
Problema de saúde
.
Qualquer mudança repentina de comportamento deve ser motivo de preocupação, portanto, o gato que para de usar a caixa de areia deve ser levado imediatamente ao veterinário para descartar problemas físicos. Problemas urinários, diabetes e insuficiência renal, por exemplo, podem desencadear o comportamento "inconveniente".
.
Artigos relacionados:

Participação do Estresse na Cistite Interticial...
Dicas úteis para preveção de FLUTD
A importância do check-up
.
Local inadequado
.
Depois de descartar problemas físicos, avalie se a localização da caixa de areia é adequada:
- A caixa não deve ficar em local de movimentação intensa (tanto de pessoas quanto de animais);
- A caixa não deve ficar em local barulhento (colada à secadora ou à máquina de lavar, por exemplo);
- A caixa não deve ficar em local de difícil acesso (para que o gato não precise percorrer um longo caminho para chegar até ela);
- A caixa deve ficar distante dos potes de comida e água.
.
"Evite colocar caixas higiênicas perto de lugares onde o gato bebe água ou come. A proximidade pode levar o felino a evitar tanto as caixas quanto a água, o que não é bom, já que eles costumam ingerir menos líquido do que devem." - Alexandre Rossi
.
Caixa suja
.
Se a caixa não for limpa com a frequência necessária, o gato irá rejeitá-la. Lembre-se de que o olfato do gato é muito mais apurado que o nosso. Limpe a caixa diariamente (de preferência mais de uma vez ao dia) e troque todo o conteúdo regularmente, além de higienizar a bandeja sanitária, claro.
.
Importante: cuidado com o uso de produtos de limpeza com cheiro forte. Evite produtos para limpeza pesada, prefira detergente neutro ou, no máximo, cloro diluído ou herbalvet e enxágue bem para não deixar resíduos.
.
"Gatos gostam de utilizar caixa limpa. Alguns chegam a segurar as necessidades até que alguém limpe a caixa. Como essa retenção não é saudável, procure limpar as caixas diariamente" - Alexandre Rossi
.
Tipo/marca da areia
.
Se você mudou recentemente de marca/tipo de areia, "errar" a caixa pode ser uma forma de protesto. O odor ou o desconforto causado nas patas ao pisar no novo substrato pode provocar o "boicote".
.
"Gatos têm preferência por tipos de areia. Diversas marcas oferecem facilidades como de limpeza e de controle do odor, mas deixe o seu gato opinar também! Uma boa maneira de saber a preferência dele é colocar duas caixas iguais, uma ao lado da outra, com tipos de areia diferentes e observar qual delas é mais utilizada. (...). Muitos proprietários colocam menos substrato na caixa do que é ideal para economizá-lo e evitar que ele seja jogado para fora. Recomendo pôr uma camada de uns 8 cm para o felino poder cavar um bom buraco e para o peso do substrato ajudar a "fixar" a caixa." - Alexandre Rossi
.
Tamanho da caixa
.
Em se tratando de caixa de areia, o tamanho importa :). Uma caixa para filhotes não é ideal, obviamente, para um gato adulto.
.
Dica: experimente substituir aquela caixinha pequena e baixa comprada em pet shop por uma caixa organizadora ou aquelas usadas em frigoríficos, espaçosas e com laterais altas, perfeitas para evitar que o chão vire uma "praia", com areia espalhada para todos os lados.
.
Falta de privacidade
.
Privacidade é bom e todo mundo gosta, inclusive seu gato! Sim, os bichanos precisam de "paz" na hora de fazer suas necessidades e não querem ser importunados. A caixa deve ficar em área tranquila, longe de movimentação intensa, outros animais e barulhos.
.
"É importante que o gato se sinta seguro enquanto estiver na caixa higiênica. Por isso, procure colocá-la em locais onde ele não leve sustos. Por exemplo, sem portas que batem, sem corrente forte de ar e sem outro animal incomodando.Jamais puna um gato enquanto ele estiver usando a caixa higiênica. Gatos sujeitos à aproximação indesejada de cães preferem caixas em locais altos." - Alexandre Rossi
.
Quantidade insuficiente de caixas de areia
.
O ideal é oferecer uma caixa para cada gato, mas num mundo de "apertamentos" isso nem sempre é possível. Tenha em mente que poucas caixas para muitos gatos é pedir para ter problemas. É importante ter bom senso tanto em relação ao número de caixas quanto à quantidade de gatos que pretende criar. ;)
O mesmo vale para casas grandes com poucos gatos. Se a casa tem 2 andares, deve ter uma caixa em cada andar. "Esconder" a caixa no extremo posto de um imóvel enorme também pode gerar problemas, principalmente para filhotes ou gatos idosos. Imagine para um gatinho ou um "velhinho" ter que atravessar longos corredores e vários cômodos até chegar ao fundo da área de serviço...provavelmente não chegará a tempo!
.
Mudança de local
.
Você pode achar que o novo local é melhor que o anterior, mas seu gato pode ter "opinião" diferente. Se a mudança for inevitável, não a faça de forma brusca, opte por fazê-la aos poucos (vá arrastando a caixa para o novo ponto da casa, um pouco a cada dia, até chegar no local desejado).
.
Caixa nova
.
Para evitar "dor de cabeça", experimente introduzir a nova caixa sem tirar a antiga, até que os bichanos se acostumem com a mudança e passem a usar o novo banheiro.
E cuidado com caixas fechadas, elas podem ser interessantes para a decoração, mas nem tanto para seus usuários.
.
Problemas territoriais
.
Gatos se sentem vulneráveis quando estão dormindo, comendo ou usando a caixade areia. Se o gato, ao usar a caixa, for atacado pelo gato mais dominante da casa, poderá ficar estressado e passar a evitar o local. O mesmo vale para caixas que ficam perto de janelas onde o gato pode ver ou sentir o cheiro de "intrusos".
.
"Se você tiver dois ou mais gatos, um poderá inibir o outro de usar as caixas higiênicas sem que se perceba como ele faz isso - gatos são capazes de controlar o território de maneira bastante sutil. Para evitar o problema, coloque as caixas em locais distantes, de modo que não seja possível o controle visual de todas ao mesmo tempo. Dessa maneira, sempre haverá um banheiro disponível para o exemplar mais tímido." - Alexandre Rossi
.
Marcação de território
.
Ta
nto machos como fêmeas (sim, alguma fêmeas espalham urina pelos cantos da casa para atrair machos!) podem começar a marcar território caso não sejam castrados no momento adequado (entre 3 e 6 meses). Neste caso a única solução realmente eficaz é a castração. Se informe, seja responsável!
.
Estresse
.
Gatos são animais de rotina e qualquer alteração pode causar estresse e desencadear o problema, como, por exemplo, novos moradores na casa (incluindo a chegada de um bebê), introdução de novos animais, mudança de casa (ou até de móveis!), ausência repentina dos donos (férias, aumento de horário de trabalho), etc.
.
Punição
.
Aquela velha e ultrapassada punição do tempo da vovó que consistia em esfregar o focinho do pobre animal no local do "crime" e levá-lo à força para a caixa de areia, não passa de ignorância de resultado ineficaz. O mais provável é que o gato associe a caixa de areia com a punição e aí, sim, evite o local de vez. Gatos não "erram" a caixa de areia de propósito, com a intenção de enfurecer seus donos. Tente se comportar como um ser humano racional e resolva o problema de maneira civilizada e inteligente e não como um ogro.
▪▪▪▪▪
Fonte:
Gatos: Necessidades fora da caixa
Litterbox Lessons
Prevention of Litterbox Problems
Cat Litter
Solving Litter Box Problems
▪▪▪▪▪
* imagem "roubada" daqui.

4 comentários:

Johnny disse...

muito bom =D

Me Adota? disse...

:)

Paula Colacique disse...

Adorei! Foi muito útil pra mim. Tenho gatos desde meus 13 anos e algumas coisas eu ainda desconhecia.

Obrigada!

Me Adota? disse...

Que bom , Paula!
Eu tenho gatos há mais de 15 anos e estou sempre aprendendo algo novo sobre eles. É importante ler sobre nutrição, saúde, comportamento e manejo. ;)