quinta-feira, 19 de julho de 2012

Novo programa sobre comportamento felino!

My Cat from Hell, que já está em sua 3ª temporada nos EUA, finalmente estreará no canal Animal Planet daqui, com o nome "Meu Gato Endiabrado", amanhã, dia 20, às 20h. O programa é, na minha opinião, obrigatório para quem quer entender mais sobre comportamento da espécie e melhorar a qualidade de vida dos gatos que cria. Recomendo MUITO.

Quando? Toda sexta-feira (estreia amanhã, dia 20!), às 20h. Reprise toda segunda-feira, à 1h da madruga.

...

"Jackson Galaxy não tem a aparência do que poderia se imaginar de um encantador de gatos. Careca, tatuado, cheio de brincos, seria fácil fácil confundi-lo com um motoqueiro tipo Hell Angel.

Em 'Meu Gato Endiabrado', ele se mostra um apurado especialista em comportamento felino. E um rapaz sensível sobre as relações entre humanos neuróticos e gatos quase selvagens.

A cada episódio, Galaxy acompanha dois casos de animais problemáticos.

No primeiro, atende Bear, um bichano preto que depois de ser castrado ficou muito agressivo, e é motivo de crise no relacionamento dos donos. Os siameses Sully e Lulu também são clientes. Eles sentem a rejeição do namorado da dona e vivem arranhando tudo e todos.

O encantador de gatos explica que são casos difíceis, mas com dicas simples ele opera alguns milagres.

Galaxy ensina brincadeiras para os animais gastarem energia e explica qual a melhor forma de dispor os móveis para os bichanos ficarem à vontade em casa.
Até o tal namorado, que se declarava "antigato", cai no feitiço e se rende aos encantos de Lulu."

...

Quem não quiser esperar e tiver um inglês decente, pode assistir aos 2 primeiros episódios aqui.

...

http://jacksongalaxy.com 
O site do especialista em comportamento felino do programa tem artigos ótimos e dicas imperdíveis de enriquecimento ambiental (em catfication). Para favoritar.

14 comentários:

Cecilia Rodrigues disse...

Tenho que elogiar o trabalho de vocês!
Conheci a Cláudia por indicação de uma amiga. Peguei um gatinho que estava em carne viva na rua. Levei em um veterinário (o desespero e a total falta de conhecimento do mundo felino - tenho 5 cães dos quais conheço tudo sobre, mas nenhum gato) que NÃO ERA especialista. O gato foi tratado como queimado. Mas ele só piorava e e acordava de madrugada para passar remédios TODOS OS DIAS. Até a Cláudia surgir na minha vida e me apresentar a Dra Mariana. O diagnóstico: ESPORIOTRICOSE. (coisa que a Cláudia falou só de olhar para ele). Ele ainda está se recuperando, mas se não fosse ela, acho que ele teria definhado. Amo o Harvey Dent e o nosso relacionamento é de duas criaturas tentando se entender. Mas tenho certeza que ele será muito feliz comigo (sem contato nenhum com as minhas cachorrinhas frenéticas - todas também resgatadas da rua). Então passo meu depoimento e IMPLORO: NÃO COMPRE ANIMAIS!!! Pense no tanto de bichinhos que estão apra adoção!

Me Adota? disse...

Sorte sua e do Harvey encontrarem a Mariana a tempo. Torcendo aqui para uma recuperação tranquila. :)

Me Adota? disse...

[Olha, tive que rir com a escolha do nome...perfeito para o caso rs]

Cecilia Rodrigues disse...

Nem fala! Farei um altar para a Mariana!

Jamile Mile disse...

Boa noite. Preciso de ajuda... minha gatinha que eu cuido como se fosse minha filha não está querendo aceitar uma gatinha (filhote) que eu peguei para criar. O que eu tenho que fazer ? desfaço do filhote?
Desde já agradeço.
Jamile

Me Adota? disse...

A apresentação deve ser gradual!


Adaptação - a importância de uma boa apresentação

Você está pensando em ter mais um gato em casa? O processo de apresentação é muito importante. Para os felinos, as primeras impressões são as que ficam. Na vida ao ar livre gatos tomam muito cuidado para prevenir encontros casuais com outros gatos através do comportamento de demarcação de território pelo cheiro. Ao "ler" as áreas marcadas, os gatos podem dizer quem esteve naquele lugar por último, e a que horas. O território pode então ser usado por diferentes gatos em diferentes horários do dia - a versão felina de um compartilhamento de tempo. Para acostumar o seu gato à idéia de dividir o território com outro felino, é essencial que seja feita uma apresentação gradual.

Tempo e paciência são as chaves para ter sucesso na introdução de um novo gato em sua casa. O novo gato deve ter um aposento só para ele por alguns dias. Troque o seu cobertorzinho com o do gato residente, para que eles possam se conhecer através do olfato antes que tenham a oportunidade de se ver. Depois disso, troque de aposentos. Deixe que o novo gato explore o resto da casa enquanto o gato residente passa algum tempo no aposento do novo gato. Depois que eles se sentirem à vontade com essa etapa, abra um pouquinho a porta do aposento do novo gato de modo que eles possam se ver, mas não possam abrir a porta completamente. Dê aos gatos em ambos os lados da porta alguma comidinha gostosa. Dois brinquedos pequenos amarrados por um barbante comprido passado por baixo da porta encorajarão uma brincadeira paralela. Quando os gatos estiverem calmos com a presença um do outro está na hora de deixar que o gato novo saia por alguns minutos. A duração das visitas pode ser aumentada gradualmente dia a dia. Esse processo pode levar alguns dias ou alguns meses, dependendo da personalidade dos gatos. Normalmente o tempo é menor quando um dos gatos têm menos que 4 meses de idade.

Durante todo o processo de apresentação fale calmamente e em voz baixa com os gatos. Elogie-os generosamente quando eles demonstrarem tolerância com a presença do outro gato. Nunca repreenda ou use um tom de voz severo quando eles estiverem juntos, ou eles irão associar coisas ruins com a presença do outro. Dê atenção especial ao gato residente, uma vez que é o território dele que está sendo invadido, e muito provavelmente será esse velho amigo que precisará ser mais tranqüilizado. Até que eles se tornem amigos, dê atenção ao novo gato somente quando o gato residente não estiver por perto.

Se a qualquer momento os gatos se tornarem receosos ou hostis, coloque o recém-chegado de volta ao seu quarto e feche a porta. Um pequeno revés não irá arruinar a amizade florescente, mas um encontro muito agressivo será lembrado por um longo tempo e deve ser evitado a todo custo. Sempre que você se deparar com problemas, volte um estágio no processo e então cuidadosamente siga adiante novamente. Você é a única pessoa que pode determinar o ritmo do processo de apresentação. O tempo que você passar fazendo com que seus gatos gradualmente se acostumem um ao outro será recompensado com anos de um harmonioso companheirismo felino.

Me Adota? disse...

O texto acima foi retirado daqui:
http://meadota.multiply.com/journal/item/2/2

Me Adota? disse...

Outro texto com dicas para apresentar o novo gato de forma correta:
http://www.caocidadao.com.br/artigo/dicas-para-introduzir-mais-um-gato-em-casa/

(artigo escrito pelo Alexandre Rossi, o "Dr. Pet")

Jamile Mile disse...

Boa Noite. Gostaria muito de agradecer pela atenção de vocês em me responderem. Já estou pondo em prática os ensinamentos, apesar de minha gatinha Susy (a dona do território) não estar gostando nada da situação, sempre incha e rosna quando ver o cheiro da pequena... mais eu vou aos poucos... Se deus quiser e me ajudar vou conseguir.
Novamente... Muito Obrigada pela atenção de vocês em me responderem.

Jamile Amorim

Me Adota? disse...

Jamile, a reação da sua gata é totalmente normal, mas é só ter paciência e seguir as dicas dos textos que ela vai acabar aceitando a pequena. Às vezes demora alguns dias ou algumas semanas pra isso acontecer, mas nunca vi adaptação não dar certo quando um dos gatos é ainda filhote (com adulto é um pouco mais complicado, dependendo do temperamento dos envolvidos, mas não impossível). Tenha paciência e tente ficar calma, não passar muita ansiedade, para não atrapalhar o processo.

Me Adota? disse...

Ah, quando elas se entenderem, não se assuste com a "violência" das brincadeiras, não confunda brincadeira de "lutinha" com briga (não sei se vc já teve mais de um gato antes). Gatos são predadores e crescem treinando para caçar (mesmo que não precisem disso, é instinto), por isso as brincadeiras são meio brutas.

Vídeos de gatos brincando de lutar:
https://www.youtube.com/watch?v=4NJQvswrSPg

https://www.youtube.com/watch?v=gbXEkcCwML0

https://www.youtube.com/watch?v=hU2-Yaoqwy8


Na brincadeira eles "brigam" em silêncio, quando a coisa é séria, eles emitem sons assustadores e voa chumaço de pelo pra todo lado, impossível confundir. Tem vídeos no youtube, é só procurar por "cat real fight" (não gosto de ver, por isso não deixei link aqui :P).

Leonardo Barros Costa Pinto disse...

Olá, pessoal! Alguém me socorra por favor. Estou com um mega problema. minha gata não faz cocô dentro da caixa de areia de jeito nenhum! Até fazia inicialmente, mas depois da chegada de um macho que adotei a mais ou menos 1 ano, ela simplesmente não faz mais no lugar correto. Eles já se acostumaram. Se dão super bem. Se lambem, brincam e dormem juntos. Mas ele fazia muito xixi no chão e em muitos pontos da casa e em coisas minhas - como camisas e capa do notebook - isso antes da castração. Depois que castramos o macho, ele gradativamente parou de fazer coisas erradas e hoje se comporta bem e faz tudo no lugar certo. A fêmea, porém, insiste em fazer cocô no chão. Já tentamos de tudo mesmo: hormônio "feliway" para inibir comportamentos indesejados; colocamos 2 caixas de areia; trocamos o tipo da areia várias vezes; compramos o desinfetante próprio "herbalvet"; limpamos a caixa 2 vezes ao dia... enfim, sempre com indicação veterinária e nada disso adiantou. Estou cansado! Se isso não parar serei obrigado a doá-los à um abrigo de animais. Não quero ser "forçado" a isso. Alguém - PELOAMORDEDEUS - pode me indicar uma solução? Obrigado!

Me Adota? disse...

As 2 caixas de areia ficam no mesmo cômodo, perto uma da outra? O ideal é que fiquem em cômodos diferentes, para que o gato mais tímido/medroso (provavelmente o caso dela) tenha opção. Pode ser que ela se sinta intimidada pelo outro, mesmo que sejam 'amigos'. E a forma de um gato intimidar o outro pode ser bem sutil, por exemplo, apenas dormindo próximo à caixa de areia ou no meio do corredor que dá acesso ao cômodo, etc.

A quantidade de areia na caixa tb faz diferença. Gatos gostam de cavar antes de defecar e a maioria gosta de enterrar as fezes depois. Não sei se é o seu caso, mas percebo que muitas pessoas compram a areia mais cara e economizam na quantidade. Aqui eu uso uma barata, mas bem fininha (Uricat) e misturo com farinha de mandioca (que tira o cheiro e deixa os torrões bem firmes), uso 2 sacos de 4kg + 500g de farinha numa caixa com bordas altas.

Se ela fizer cocô no chão, mas ao lado da caixa, experimente colocar um jornal ali, fica mais fácil recolher as fezes. Francamente, não consigo ver isso como um 'mega problema' (afinal, é só limpar!) que motive alguém a descartar seus gatos, no máximo é uma inconveniência, como tantas outras que existem na vida. O que mais me choca é o tamanho da falta de amor e senso de responsabilidade: ameaçar abandonar num abrigo em vez de pensar em escolher de forma criteriosa um ótimo adotante para se certificar de que os gatos sejam extremamente bem cuidados. Parece que vc não quer ter nenhum trabalho, nenhum incômodo. Por isso é tão importante pensar BEM antes de adotar. Como vai ser quando eles ficarem idosos, doentes? Eu tenho gatos idosos e te digo: cocô no chão seria o menor dos meus problemas (já passei por cada coisa! Mas ao decidir adotá-los, assumi um COMPROMISSO com eles que vai acabar somente quando morrerem). Enfim, achei bem triste mesmo. Aliás, por esse nível de desapego das pessoas me afastei das adoções, não tenho mais estômago... :/

Boa sorte para esses 2 gatos.

Me Adota? disse...

Tem postagem no blog sobre caixa de areia:

http://me-adota.blogspot.com.br/2009/09/problemas-com-caixa-de-areia.html